Criando sua Aposentadoria (parte 2)

Porque investir em letras do Tesouro IPCA + Principal?

Por um simples motivo, o fator IPCA! Por mais que o Brasil esteja, aparentemente, longe de uma hiperinflação, a inflação ainda é algo que pode destroçar o poder de compra das pessoas, além de reduzir os ganhos dos investidores.

Em 2015, mesmo com um juro de 14,25% ao ano, o IPCA terminou o período com mais de 10% ao ano. Ou seja, o ganho real era de menos de 4% ao ano.

Atualmente, no momento em que escrevo esse artigo, o juro está na casa dos 10% ao ano, enquanto o IPCA nos últimos doze meses, vem acumulando pouco menos de 4% ao ano.

Portanto temos um juro real de mais de 6% ao ano! Um valor extremamente alto, ainda mais se referindo ao Brasil. Por mais que o nosso país tenha os seus problemas, é um tanto quanto exagerado contar com um juro real tão alto.

Sendo assim, vejo os investimentos no Tesouro Direto, oferecendo bom segurança atrelado a um bom rendimento. Ainda mais quando focamos no longo prazo.

Vale lembrar que as taxa atuais do Tesouro Direto são muito atraentes. Segue os preços das letras no momento em que escrevo esse artigo:

   Por mais que tenha uma porção de letras, vamos focar no que nos interessa aqui, o Tesouro IPCA +! Mas especificamente o NTN-B Principal.

Temos três títulos com vencimentos distintos. Desde para 2024 até 2045. Fica a critério de o investidor escolher o vencimento mais adequado.

Não vou entrar em detalhes qualitativos  tão pouco em uma explicação detalhada do funcionamento desses papéis, até porque não é o meu objetivo aqui.

Mas é preciso falar sobre algumas coisas que envolvem a aplicação em papéis com juro prefixados. O Tesouro IPCA é um investimento que possui um pedaço de seu rendimento atrelado a oscilação do IPCA (nossa querida inflação) e mais um ganho atrelado a uma taxa de juro prefixado.

Ou seja, o leitor pode ver que na tabela exposta acima, temos ao lado das datas de vencimento, números. Esses números representam a taxa de juro prefixada.

No momento em que tirei essa print da tela, temos taxas que estão próximas dos 5,5% ao ano. Em outras palavras, o investidor que comprar tais títulos, vai receber ao final do vencimento, o valor investido acrescido da taxa de juro prefixada mais a correção pela inflação.

Interessante não é mesmo? É muito! Muito mesmo! O que estou mostrando para o investidor, pode ser considerado um investimento seguro, e com rendimento formidável.

O risco aqui consiste em o governo brasileiro não honrar com sua dívida. Isso seria, não devolver para o investidor o dinheiro aplicado mais o rendimento.

Por isso que estou selecionando esse investimento, como uma forma de garantir um bom dinheiro no futuro. Um dos grandes problemas de nosso país é a taxa de juro, e o outro é a inflação.

A inflação vem incomodando nossa nação há muitos anos. Aparentemente, no momento em que estou escrevendo esse artigo, essa inflação está bem controlada.

Porém isso não é garantia que amanhã, ou quem sabe a dois ou três anos, o dragão não volte. Portanto um papel cujo rendimento está atrelado à inflação, faz todo sentido!

Ainda mais, quando estamos tratando de vencimentos longos. Coisa de 10, 20 até 30 anos!

  O que acontece quando eu resgatar esse título antes do tempo?

Pois é, isso é possível caro leitor. Em minha opinião, isso é muito bom, porque deixa o investimento mais maleável.

Mas por outro lado, não é muito bom. Por se tratar de um papel que possui juro prefixado, o mesmo está suscetível às oscilações do mercado.

Ou seja, se a taxa de juro futuro subir, ou quem sabe o dólar sofrer uma valorização diante o real, e coisas que culminarem com uma deterioração do cenário econômico brasileiro, é possível que os papéis do Tesouro IPCA venham a sofrer uma desvalorização no curto prazo.

De quanto pode ser essa desvalorização? Muito alta! Estou falando em mais de 50% do valor dos títulos, de um dia para outro, desaparecer!

Mas quando eu invisto em um papel do Tesouro IPCA, não estou garantido o rendimento vinculado a uma taxa prefixada mais a inflação?

Sim! Exatamente isso! Por isso mesmo, se o investidor resgatar antes do tempo, ele estará assumindo o risco de pagar o que o mercado está oferecendo.

E pode acreditar às vezes o mercado não oferece muito! Por isso eu faço um apelo aqui! Não se esqueça de nunca disso, por mais que o seu titulo esteja derretendo, se você esperar até o final do vencimento, o tesouro Direto vai lhe pagar o papel mais os rendimentos acordados no dia da sua aplicação.

Resgatar antes do tempo, pode fazer sentido se o seu papel está se valorizando. Quando temos valorização do Tesouro IPCA, é provável que  estejamos em uma situação de boas expectativas econômicas.

Isso pode ser traduzido, pela queda dos juros, queda do dólar, reformas econômicas ocorrendo, controle fiscal realizado pelo governo federal, e coisas do gênero.

Quando isso ocorre, as expectativas sobre nossa nação podem estar boas o suficiente para gerarem ganhos no curto prazo sobre nossos títulos.

Resumindo:

Se a situação econômica de nossa nação não estiver boa, ou seja, os valores da:

  • Inflação estiver em alta
  • Dólar estiver em alta
  • E taxa de juro em alta
  • Descontrole nos gatos públicos

É provável que o investidor conviva com uma alta crescente nas taxas prefixadas dos títulos do Tesouro, além é claro, de um derretimento no valor do principal.

O risco Brasil também é outro ótimo termômetro para verificar as condições em terras tupiniquins. A alta no risco também é outra maneira de verificar problemas.

Caso a situação esteja boa, ou melhor, a economia esteja indo bem, podemos verificar alguns dados que auxiliam a identificar esse estado, segue:

  • Inflação sobre controle, e dentro do centro da meta.
  • Dólar estável, com oscilações pequenas.
  • Taxa de juro estável, em menos de 2 dígitos e com expectativa de redução.
  • Controle dos gastos públicos, e com superávit.
  • Risco Brasil em queda

Se o leitor conseguir identificar esses sinais no cenário econômico nacional, então podemos estar de frente com um momento de valorização dos papéis públicos, principalmente os títulos com juro prefixado.

Para sanar qualquer tipo de dúvida, vou mostrar uma tabela, que pode ser retirada no próprio site do tesouro, informando os valores históricos de um Tesouro IPCA Principal com vencimento para 2035, segue:

Assinalado em verde está valores que vamos pegar como exemplos. Vamos imagina que o investidor tenha comprado em 02/03/2016 10 letras do Tesouro IPCA + Principal com vencimento para 2035. Ou seja, o investidor investiu nada mais do que R$ 7.014,80 (pegando o valor do PU Base Manhã).

Então, se passando alguns dias, mais precisamente em 23/03/2016 o investidor vai conferir o valor de seus títulos, lembrando que a taxa de juro prefixada acordada no dia do investimento, foi de 7,49% ao ano (pegando a taxa de compra de manhã).

Ao analisar, ele acaba conferindo que houve uma valorização, mas nada comparado aos instrumentos de renda fixa. O valor que era de inicialmente R$ 7.014,80 foi parar em R$ 8.780,00! Um ganho de nada menos do que R$ 1.765,20! Ou 25% de ganho em 20 dias!

Esse tipo de ganho, já é difícil de conseguir no mercado variável, imagina através da renda fixa! Então, agora o investidor já viu que é possível. Vou aproveitar o momento e contextualizar o leitor sobre o que estava rolando no Brasil nesse período.

O impeachment de nossa presidente! Isso mesmo, o fim de uma era, onde a economia estava sofrendo muito, e caminhando, ainda para o fim do poço poderia vir a acabar com o impeachment (lógico toda uma crise institucional ainda estava ocorrendo, mas houve uma grande mudança nos rumos econômicos de nosso pais).

Resumindo: O Brasil estava sobre uma perspectiva negativa, e com a mudança de governo, essa expectativa foi alterada por algo positivo. Isso tornou muitos números dos quais já falamos melhores ou benéficos à economia, reduzindo o juro prefixado dos títulos públicos.

O mercado por sua vez, estava “cobrando” menos para investir no Brasil (falando grosso modo).

Vamos mostrar agora o que pode acontecer de ruim quando investimentos no Tesouro IPCA + visando o curto prazo:

Nessa tabela vamos tratar sobre um investimento realizado em 21/10/2016, onde o investidor comprou 10 letras do Tesouro IPCA + Principal, com vencimento para 2035, e pagou um total de R$ 10.672,30.

Ao passar um pouco mais de 20 dias, o investidor foi conferir o seu saldo, e teve uma péssima noticia, o valor derreteu, totalizando um valor de R$ 9.530,60!

Ou seja, o investidor perder em pouco mais de 20 dias, um total de R$ 1.141,70! Muito dinheiro! Perder na renda fixa já é muito difícil, mas tudo isso, parece que não estamos falando de renda fixa não é mesmo?

Mas acredite caro investidor, o Tesouro Direto pode ser considerada renda fixa. Novamente, se você não for mexer no valor investido antes do vencimento, o seu retorno estará assegurado pelas taxas contratadas na hora do investimento.

Em outras palavras, se você está pretendo aplicar no Tesouro IPCA com dinheiro que está em sua reserva de curto prazo, para questões emergências, não faça o investimento!

Só aplique dinheiro que vai demorar a ser resgatado, ou melhor, observe o vencimento do seu título.

Prefira papéis que estejam  com o vencimento mais próximo. Mas caso você tenha um patrimônio, do qual, pode esperar por muito tempo para contra (estamos falando acima dos 20 anos) então fique de olho em nossa estratégia…

  Estratégia utilizando a calculadora do Tesouro Direto

Para ser honesto não é nada de mais, não deveria nem dizer que é uma estratégia, mas é algo que está me ajudando, e muito no meu planejamento financeiro.

Para começo de historia, só estou montando tal estratégia e mostrando para o leitor, por alguns motivos, dentre eles posso citar:

  • A melhora da perspectiva econômica de nosso país. Acredito que vai demorar um pouco para termos juro de dois dígitos novamente.
  • O Tesouro IPCA permite tal estratégia, pelo motivo de contar com a correção pela inflação. Caso fosse outro tipo de indexação, eu não faria.
  • O juro prefixado nada mais é do que o ganho real. Portanto, se o ganho real, no Brasil, for reduzido para níveis de primeiro mundo, como 1%, ou até menos, as atuais taxas nunca mais serão vista (ou pelo menos não no curto prazo).
  • Existe, não é garantido, e tão pouco provável, mas existe a possibilidade de conseguir rendimentos já no curto prazo, devido às motivos mencionados nos itens anteriores.
  • O Tesouro Direto, querendo ou não, é o investimento mais seguro de uma nação. Pelo simples motivo de contar com a garantia do Tesouro Nacional. Lógico, é mais seguro que o Tesouro Americano? Não! Mas é mais seguro que o CDB do banco médio, e até do grande (mesmo eles contando com a garantia do FGC, o governo, por exemplo, não garante o FGC).
  • O dinheiro que estou aplicando nessa estratégia, não vai me fazer falta no curto e médio prazo.
  • Existe a possibilidade de realizar o resgate em qualquer dia útil da semana. Ou seja, caso eu não esteja mais sentido seguro, ou que isso tudo vá dar certo, eu posso simplesmente resgatar.

Esses são os meus motivos! Então vamos lá, do que eu estou falando caro leitor? É isso aqui:

Um milhão de reais, melhor, mais do que um milhão, e já liquido de imposto de renda! Tudo isso por meio de um investimento de R$ 90.000,00!

É muito dinheiro para botar em uma aplicação como essa? É sim! Mas se você tem a chance de colocar esse valor, uma vez que não precisa do montante, e pode esperar por mais de 25 anos para contar com ele, então, acredito que esse investimento possa ser uma boa.

Mas como R$ 90.000,00 podem se tornar mais de um milhão! Primeiro temos o fator tempo na jogada!

A data inicial é de 01/01/2017, e o vencimento é 15/05/2045, ou seja, o tempo total da aplicação é de 28 anos! São 28 anos que o seu dinheiro vai ficar trabalhando constantemente, dia após dia! Subindo e descendo, flutuando na precificação do mercado até a data do vencimento.

O segundo fator aqui é o juro prefixado. Querido leitor, esse juro é teu! No momento que você aplicar esse dinheiro no Tesouro IPCA, o seu rendimento final vaio levar em consideração a inflação mais aquele juro.

Novamente, o juro prefixado é nada mais do que o seu ganho real. No mundo de hoje, contar com um ganho real acima dos 5% é muita coisa! Muitas mesmo, ainda mais quando estamos tratando de papéis públicos.

E por últimos, não podemos esquecer que os papéis públicos possuem liquidez diária! A qualquer dia útil as semanas, você pode solicitar o resgate, se não estiver contente com a estratégia.

Lógico, essa taxa que estou mostrando no livro pode ter sofrido alterações, até mesmo porque diariamente os títulos do tesouro sofrem alterações do juro prefixado, e do valor do principal.

Talvez no momento em que você esteja lendo, o juro possa estar menor, ou quem sabe mais alto.  Por isso na próxima imagem estarei mostrando a calculadora com os valores que coloquei para conseguir alcançar tal resultado, segue:

E foi assim que consegui o resultado! Bom o título é o Tesouro IPCA + Principal, não é o com pagamentos semestrais, esse aqui vai lhe pagar tudo de uma vez só! Sem rendimentos semestrais!

Depois a data da compra, que vai depender de quando for realizar a compra. Quanto menos o tempo, mais dinheiro terá que ser aplicado para conseguir o milhão, ou maior terá que ser a taxa de juro prefixada.

O vencimento, no caso é referente ao título de 2045. Aqui também vai depender de quando você vai querer o seu dinheiro de volta. Novamente, quanto mais tempo, menos dinheiro pode ser empregado na aplicação.

Outro detalhe: quanto mais longo for o vencimento, mais o titulo poderá sofrer com as oscilações do mercado, portanto, se você optar pelo papel mais longo, segura o seu coração, que emoções você passara até o vencimento.

A taxa do juro, você vai precisar conferir quando for pesquisar e comprar os papéis. A taxa aplicada aqui, é referente a tabela com os preços dos títulos que coloquei no livro (lá no inicio dessa parte).

Taxa administrativa, é a taxa cobrada pela corretora. No meu caso, é 0 porque tenho conta em uma corretora que não cobra taxa administrativa.

Isso é bem importante, qualquer taxa administrativa vai comer parte dos seus rendimentos, e, portanto lhe afastar do seu objetivo!

E por final a inflação do período. De acordo com as ultimas movimentações do ministério da fazendo e do banco central, existe a possibilidade de modificação do centro da meta para 4% no ano de 2020.

Portanto eu já realizei essa alteração nessa simulação, para poder trazer um valor mais realista ao simulado.

Caso o IPCA em um desses anos (que não serão poucos, 28 anos!) ficar em 10% ao ano, por exemplo, o rendimento total sofrera um aumento, uma vez que o papel ele vai levar em consideração a taxa inflacionário do período.

O que está sendo preenchido na calculadora é simplesmente um valor do qual eu tenho como referencia, por meio de pesquisas. A taxa real, ou a que for definitivamente calculada durante o período, pode sofrer alterações.

  Vale a pena fazer isso?

Sim! Eu acredito que vale a pena sim! Não vou reforçar todos os meus argumentos novamente aqui, mas vou falar o que acho sinceramente.

Talvez isso aqui seja mais uma ideia, ou de repente um estado de espírito do que propriamente uma estratégia.

A estratégia aqui é conseguir montar, ou construir um patrimônio, através de uma aplicação que ficara “congelada”.

E será descongelada após 28 anos (mas no caso do leitor pode ser em menos tempo, ou quem sabe em mais tempo, a calculadora está lá e deve ser utilizada!).

Como o capitão América, praticamente isso, ele foi congelado, e depois de anos, descongelarão o herói. O negocio e fazer o mesmo com o Tesouro IPCA.

Ainda mais que contamos com uma taxa de juro relativamente alta. Novamente, mais de 5%  para um titulo publico, contando com a correção do IPCA, é um ótimo investimento.

É garantido que esse resultado será conquistado? Não, nem um pouco, a inflação pode muito bem ficar em 1% ao ano.

Então aqueles 4% simulados, não serão a realidade, e os um milhão podem ficar bem distantes. Mas se a inflação ficar no topo do teto, ou seja, algo próximo dos 6% ao ano, então é bem provável, que o valor final seja superior aos um milhão de reais.

O importante aqui é contar com a possibilidade de resgate em qualquer dia útil da semana. Dessa forma você pode ficar mais tranquilo, e se de repente o título der um rendimento como os vistos anteriormente, você pode simplesmente resgatar antes do vencimento.

Anúncios